a lenda de zelda e um link para a bossa nova

Conheci A Lenda de Zelda antes mesmo de saber que era um jogo de videogame da Nintendo por meio de um desenho animado de um programa infantil pela manhã aonde vi pela primeira vez o corajoso Link com sua roupa verde e sua espada defendendo a princesa loira chamada Zelda. Se o nome do corajoso personagem fosse Scott, como o casal Scott e Zelda Fitzgerald, dois personagens verídicos da Vanguarda Européia que não viveram para fazer tanta história quanto esse jogo até hoje.

É um RPG game? A respeito do jogo “Zelda – Link to the Past” acredito que era um RPG assim como os outros jogos da franquia lançados até hoje. (Não, a minha cabeça não pirou quando joguei – não fiquei loira e nem vesti roupinhas verdes nem perdi minha identidade. Era só um jogo). Assim como o Big Mac é só um lanche. Em outro momento posso até escrever sobre o aspecto de perder a cabeça jogando RPG, mas vou deixar para outros trabalhos.

Em 1996 me deparei com esse jogo (Zelda – Link to the Past) do Super Nintendo com seu gráfico excelente que atravessa gerações – se hoje alguém se arriscar a jogá-lo, ainda vai ser tão agradável quanto na época. É possível baixá-lo pelo emulador de PCgame ou pelo PSP (Playstation Portable) gratuitamente. Para quem não sabe, emulador e um tipo de um software transformador de jogos antigos para serem jogados em alguns vídeo games ou pelo PC.

Link to the Past tem um gosto de investigação pela cidade, por meio dos personagens secundários e passagens secretas, que preparam o jogador para as Dungeons.
As músicas do jogo, são tão bem feitas quanto os gráficos comentados aqui. Esse jogo fez tanto sucesso que existe uma playlist no Spotify dessa mesma trilha sonora no estilo Bossa Nova. E tão agradável quanto o jogo e a bossa nova. Quem nunca escutou Zelda, se ouvir a versão num chá de terceira idade, jamais imaginará que a playlist é do um jogo divertido do netinho. Um verdadeiro link com o passado. Não, é melhor o nome Link do que João Gilberto.

REDATORA

Vandressa Holanda Gefali

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram
WhatsApp